Arquivo

Beleza

Posts em Beleza.

Baby Bangs, cortar ou não cortar?

Naquela lista infinita de coisas que a gente acha horrível, depois aceita, começa a se apegar e depois acha a coisa mais linda do mundo, está a Baby Bangs. A principio pode parecer muito ousado ter uma faixa de cabelo que divide a sua testa em duas. Parece meio andrógeno, meio futurista. Parece tudo, menos algo que seja para você. Mas é aí que você pode se enganar.

babybangs4

Foto: Cris Paladino por Tricky Hips

Praticidade

NÃO CORTAR: Elas podem não ser a coisa mais prática do mundo. Com um corte tão curto é difícil você acordar pela manhã pronta para sair. Vai ficar meio esquisito, meio bagunçado, em pé, meio rebelde.

CORTAR: Mas em compensação não vai demorar muito para você ajeitar, passar uma prancha, pentear e ir. E aí vem a vantagem. Quando a sua franjinha estiver arrumada você nem precisa gastar muito tempo com o resto do cabelo. Só ela já vai garantir o seu visual mais arrumadinho e cool.

Ferramentas:

NÃO CORTAR: Realmente vai precisar de uma certa dedicação. Se resolver apostar em uma versão bem curtinha mesmo talvez nem a sua prancha consiga molda-la por causa do tamanho e você vai precisar de uma mini-prancha.

CORTAR: Mas também tem as tiaras de tecido que você pode amarrar na cabeça antes de dormir, existem pomadas e sprays que vão te ajudar nessa missão também e pode ter certeza que não vai ser tão absurdo assim resolver. Tecnologia, baby!

Auto-conhecimento:

NÃO CORTAR: Vai ser uma mudança e tanta no visual. Pode ser que você estranhe muito o seu rosto porque ele vai ter outro formato, mais alongado. E as suas sobrancelhas vão ganhar mais destaque e pode ser que no momento você se assuste, ache horrível saia do salão em prantos e tenha crises existenciais.

CORTAR: Mas passa, você vai ver que é legal entender o seu rosto de outra maneira,  se você acha que o seu nariz é grande você vai achar que ele é maior ainda, essa franjinha deixa o seu rosto muito mais a mostra, todo o contorno dele vai ficar aparente e então é uma aula de auto-conhecimento. E se não gostar, uma coisa é importante lembrar. Ela cresce! E você também!

1. V Magazine 2. Buzznet 3. Nylon 4. Nasty Gal  5.Daily Makeover 6. Laricunegundes 7. Maju Trindade 8. Pretty Designs 9. Shock Blast

Para cada problema uma solução, então, no final fica ao seu critério. E aí? Vai cortar?

Por que podemos aprender muito sobre nós mesmas apenas usando menos corretivo?

Esse mundo da beleza é realmente um contradição, já pararam para pensar? A gente vê e gosta muito daquela maquiagem leve, com pele iluminada, blush suave e batom cor de boca. Dá vontade de tatuar no rosto aquele look básico de quem acabou de acordar e foi, flawless. Poderia ser a mais simples, poderia ser a mais prática das maquiagens mas acaba que, para atingir esse resultado, joga mais produto, aprende mais técnica, empurra mais cosmético na galera. A informação é realmente uma arma poderosíssima e, quanto mais a gente sabe, mais a gente quer saber. E, se a gente pode, a gente também quer fazer. Meu Deus, será que sou a única que enfrento esse vício?

Mas aí que nessa avalanche de cosméticos e procedimentos tem um item que pode fazer toda a diferença pela sua ausência. Dá pra aprender um monte sobre nós mesmos só de não usar o tal do corretivo. Calma, não precisa fazer uma fogueira e jogar fora todas versões do bendito em formato líquido, cremoso, bastão e paleta. Mas já percebeu o quanto o seu rosto ganha vida sem ele? Tem aquela espinha que insistiu em nascer na pontinha do queixo, tão teimosa e saliente. Aquela olheira que é quase um troféu porque você conseguiu dançar a noite toda com os amigos, em plena quarta-feira, para comemorar o seu aniversário e, sim, você acordou as 7:15 da manhã, e saiu de casa sem tomar café para chegar sem atraso no trabalho. Só a sua olheira é uma prova viva disso! Além das fotos no Instagram que ficam no âmbito virtual ela é tipo uma tatuagem temporária conquistada com muito mérito.

E aí você consegue se divertir com a maquiagem. Deixar seus olhos maiores hoje e mais puxados amanhã. Fazer um iluminado na maçã do rosto digno de tapete vermelho e no dia seguinte apostar na pele mate com um super batom roxo. Existe uma infinidade de possibilidades e, em todas elas você pode continuar com o seus troféus. E aí, aquele dia que você conquistou a sua tão sonhada 9 horas de sono, tirou toda a maquiagem para dormir, hidratou o seu rosto e se livrou daquela espinha que estava te atormentando, vai dar ainda mais orgulho não precisar do tal do corretivo.

“I don’t understand concealer. Dark circles under the eyes can be one of the most moving things on a human face” Clémence Poésy

O que as glass nails têm a dizer sobre a nossa nova maneira de gostar das coisas

Efeito holográfico, reflexivo e até tridimensional. Parece mesmo que com toda essa tecnologia avançada que o século XXI nos proporciona, manter as unhas feitas com aquele tom de vermelho vibrante não é mais suficiente. As unhas com aspecto de vidro, com cores e efeitos holográficos nos trazem as referências de seapunk. Os olhos brilham com tanta cor. E, para a gente que ama se passar por sereia, meu Deus, é um sonho se realizando disfarçado de manicure.

glass-nails-korea-00-holding

Foto: Vogue

À medida que a nossa relação com a imagem está sempre tão atrelada ao mundo virtual, acaba sendo muito comum vermos ganhar destaque aqueles efeitos que não apareceriam tão incríveis na vida real mas que, na foto, são extremamente encantadores. A unha de vidro, na verdade, é feita com papel celofane, repicado e aplicado nas unhas de maneira bem disforme, e é isso que dá essa cara de cacos de vidro com direito a ares tridimensionais.

O legal é saber desses aspectos, brincar com as possibilidades e seguir a vida entendendo que a rede social não é vida real mas que a gente pode sim se divertir muito mesmo assim. Afinal, aonde mais podemos ter unhas, cabelos e roupas de sereia?

Aprendi a fazer o efeito com esse tutorial!

Fonte: Instyle UK

Aro Osbourn: maquiagem anos 80 com têmporas destacas

cdd7956107a5bdc4383e62092b36d614

Essa história de contornos pode ter ficado saturada e a maior onda agora ser o strobbing, aquele truque que a gente deixa de lado o bronzer mas investe pesado na iluminação para que ela crie os pontos de sombra no rosto. Mas um jeito que fazer um make marcado mas sem pesar na informação é brincar com o bronzer também como sombra. E isso também vale para outros tons de blush.

O efeito funciona tanto para quem quiser fazer uma maquiagem mais dramática como da Aro Osbourne para a Nylon como para maquiagens mais leves. Usar o mesmo tom na sombra e no blush (ou bronzer) deixa mais verídico e harmônico os pontos de sombra da maquiagem, além de dar mais utilidade e versatilidade ao produto. A maquiagem fica com um ar de anos 80, quando era moda apostar forte nas têmporas destacadas.

Falando nisso? Qual blush e bronzer vocês mais gostam?

A nova Flash Tattoo: Hair Tattoo

hairtattookyliejenner

Foto: Look UK

Se você já estava enjoada da sua Flash Tattoo e pensando em jogar fora porque a moda já passou. Espere! Elas podem voltar a ser desejo depois que Kylie Jenner apareceu usando uma nova versão do acessório.

Se tudo o que as Kardashian usam acaba virando moda, porque dessa vez seria diferente? Sabendo que nada mais bonito do que o contraste de preto e dourado, Kylie investiu na Hair Tattoo para destacar a sua morenisse, depois dos mil tons que atingiu com o seu cabelo. Assim como as Flash Tattoos ficavam muito bonitas em pele morena, o adesivo dourado para os cabelos também ganha mais notoriedade com as madeixas escuras. Muito melhor do que as presilhas que ficam caindo e os mil penteados que ficam desmanchando, não precisa pintar, não precisa passar química e nem a tesoura para aderir a tendência. E para aplicar, nenhum mistério: É só cortar a sua hair tattoo escolhida, colocar na parte do cabelo que desejar e pressionar uma toalha molhada em cima, exatamente como a gente já fazia na pele. Para tirar é só lavar e escovar o cabelo que ela sai.

Quem tem cabelo cacheado pode apostar em penteados escovados para trás, tentando deixar a raiz lisa para fixar o produto. Pode ser até dos mais simples como coques desfiados e rabos de cavalo que você pode usar a Hair Tattoo como uma tiara na parte da frente. Um jeito bem prático de deixar o visual mais moderninho.

Ótima para o verão, não acham? Por enquanto só encontramos a Hair Tatto na Scunci, marca americana super cool de acessórios para o cabelo que você pode conhecer aqui. Mas não deve demorar muito para encontrarmos o modelo em outras marcas se formos analisar pelo sucesso que a sua antecessora fez.

Gostaram da idéia? Vão usar a Hair Tattoo?

Fonte: Look UK

Qual o problema de mulheres brancas de black power?

black

 

O PASSO A PASSO DO CABELO AFRO

 

1. Nasça com um cabelo que acha lindo. Aquele que te representa, cria laços com a sua família, cria afeto e identificação com os seus pais e de onde você veio. Quando você é criança as pessoas vão amar o seu cabelo e sempre querem roubar os seus cachinhos.

2. Cresça mais um pouco e entre na escola. Lá encontre amiguinhos com diferentes opiniões, criados de maneira diferente e que, muitas vezes, não entendem essas diferenças. Ouça apelidos com os quais não se identifica, sempre escondidos por trás de uma brincadeira.

3. Entre na adolescência e veja que a mídia que não te representa. Não existe ninguém da sua cor interpretando papeis importantes nas novelas, séries e filmes. Você vê produtos e matérias sobre beleza que não servem para você. É difícil achar maquiagem acessível e adequada para o seu tom de pele e produtos que respeitem o seu cabelo.

4. Já mais velha abra um revista e veja um passo a passo de como ter um lindo cabelo afro, volumoso, cheio de cachos e atitude. Você começa a se sentir representada. Leia o restante da matéria e descubra que, depois do asterisco, ele foi feito em um cabelo liso de uma mulher branca

Esta edição da revista Allure que criou polêmica ao trazer uma matéria sobre como ter um cabelo black power, mesmo quando você tem o cabelo liso. E algo semelhante já havia acontecido com a Teen Vogue, a um tempo atrás. Podemos dizer que não tem nenhum problema quando uma pessoa branca quer usar um cabelo black. Nós podemos fazer o que quisermos com o nosso cabelo seja deixar ele preto, branco, colorido, cacheado, black power ou liso. O problema é que as notícias sobre beleza continuam sendo voltadas, constantemente, para mulheres brancas, magras e, claro, cisgênero. Ensinar uma mulher branca a atingir um visual black power não inclui mulheres negras. Soa como se fossemos minoria, como se uma matéria sobre o cabelo afro ficasse mais coerente quando voltada para uma mulher branca, excluindo, como sempre as mulheres negras. A gente quer que seja normal ver uma pessoa negra na capa de uma revista, nos editoriais, nas fotos dos e commerces (já perceberam o quanto isso é raro?). A gente quer se sentir representada e incluída, e não vai ser mostrando como uma mulher branca pode usar um cabelo cacheado que isso vai acontecer.

Powder e como deveria ser a nossa relação com referências de beleza

How-to-stop-your-skin-flaking-off-2

Beleza, padrões, definições e referências são sempre tópicos que rendem muito assunto. Já disseram que beleza era simetria, puff, e nessa, os gregos já tentaram defini-la em fórmulas matemáticas, através da tal proporção áurea, que até servem muito bem para padrões de belas artes (com a arte contemporânea esse conceito também já caiu por terra) mas, para a definição da beleza humana, continua pecando justamente pela regulamentação.

Beleza é algo que, apesar de estar extremamente associada a algo físico e palpável, é completamente incorpóreo, subjetivo, instável e vulnerável. Pensem nos padrões nativos de cada país e veja quanta coisa mudou nos traços conforme a miscigenação vai se tornando cada vez mais comum. Deixou de ser apenas coisa de brasileiro ser misturado. O mundo está se misturando.

Continue lendo →

O que pode acontecer se derrubarmos os padrões de beleza?

Estou de férias. Mesmo estando no recesso a caminho  do meu último período da faculdade – podendo estar adiantando todo o meu desenvolvimento de coleção para ter uma vida mais tranquila nos próximos meses – estou de férias e estou lendo. Lí um livro sobre uma menina sem qualidades, outro sobre uma garota atormentada e nos intervalos, muitos textos sobre mulheres. Vocês também já devem ter sido bombardiados por um bocado deles. Aquele sobre xingamentos, aquele escrito por um homem, aquele sobre corpos sarados, aquele sobre seios rosados, aquele print sobre a modelo plus size ou aquele vídeo sobre a superação da “garota mais feia do mundo”. Pois é, coincidência ou não, parece que estamos saindo da caixinha. Estamos deixando de  nos submeter a rótulos e estereótipos que nos reprimem para finalmente encontrar o equilíbrio daquilo que somos, aparentamos e queremos ser. E eu fico imaginando o que mais que muda com essas novidades. Qual a diferença que isso pode trazer pra nossa vida, junto com o bem estar de sermos nós mesmas. Então eu pensei…

01. Os padrões encontrados na mídia

padroes01

Óbvio! Não é de hoje que queremos ver pessoas reais na mídia. O boom dos blogs e vlogs veio daí, o boom das selfies veio daí. Era a oportunidade de nos inspirar no possível, de escolher alguém que estivesse perto da nossa realidade, com afinidade cultural, financeira, estética, social ou do que fosse para acompanhar. A Dove já percebeu isso a muito tempo, a TPM – apesar de dar suas mancadas –  também e, é claro, que a gente também percebeu. Mas eu vejo mudar de verdade no dia que encontrarmos modelos de 45 a 110 kg sem rotular qual a categoria de modelo elas são. Sem que a magra demais vire notícia por parecer anoréxica ou a gorda vire notícia por parecer estar acima do peso. O dia que um desfile que tenha 60% de modelos negras não vire notícia por ser incomum. O dia que vamos achar normal ver alguém com rugas e cabelos grisalhos em um catálogo, filme, novela ou série de tv. Seja homem ou mulher!

02. Os julgamentos que fazemos

padroes02

Com uma maior democracia entre os padrões de beleza, podemos julgar cada vez menos. Vamos entender que somos diferentes mas não da maneira que entendemos agora, esse diferente querendo ser igual, esse diferente que precisa de um grupo para se encaixar. Vamos ter mais autonomia para sermos diferentes sozinhos, híbridos e vamos conseguir entender uma coisa óbvia: ninguém nasce igual e ninguém tem nada a ver com isso. Cuidar da sua aparência e dos seus gostos é o direito de cada um. Nada te dá o direito de julgar e dar a sua opinião, principalmente negativa, se aquela pessoa não te pediu.

Continue lendo →

Make it Right

Sabe aqueles truques de maquiagem para quem tem olhos pequenos, grandes, puxados e blá blá blá? Comigo não funcionam. Tenho olhos pequenos e aquele truque de colocar lápis claro na linha d’água não os realça. Não é apenas o tamanho ou formato que temos que levar em consideração e sim o tamanho, formato, sobrancelha, pálpebras e todo o resto. Foi então que assistindo a entrevista da Isis Valverde no Jô reparei que temos os olhos parecidos. Bem pequenos, com um “inchadinho” na palpebra inferior, a pálpebra superior quase não aparece e a sobrancelha bem marcada para dentro (sendo a minha bem mais grossa). Claro que não são iguais, mas as características são parecidas e o que ela faz para realçar os olhos dela, eu também posso fazer no meu.

Ela segue um padão de maquiagens bem leves que eu também curto. Delineador, as vezes uma sombra escura mais concentrada no canto externo da  palpebra superior e em baixo apenas um pouco de lápis marcando o canto externo. Blush, muito rímel e um batom rosa clarinho para finalizar. Essa é a maquiagem coringa dela que acabou virando a minha também.

Continue lendo →

Lipstick Jungle

Sou a contradição em pessoa. Podem me bater. Eu disse que não gosto de usar batom porque acho que a minha boca fica muito grande, mas esses dias, não sei porquê, eu resolvi investir em um vermelhão e limpar em volta com um cotonete (já que não tenho lápis de contorno) e funcionou! Minha boca ficou do tamanho que deve ser e eu consegui sair sem tirar a maquiagem dentro do carro (sempre fazia isso hahaha). Me empolguei. Agora entrei pro time boca tudo olho nada.

E sabe que essa evolução me lembrou de uma coisa: os esmaltes. Lembra como foi acontecendo? Antes ninguém ligava, depois os vermelhos viraram hit, depois os coloridos e agora só se fala em texturizados, purpurinados, holográficos, desenhados… resumindo: os artísticos. Será que os batons seguirão o mesmo caminho?

Seguindo a lógica, sim! Por enquanto, os batons coloridos são lindos, ainda são novidade, algumas meninas já usam normalmente, outras tentam se adaptar. Mas vai chegar uma hora que eles serão tão normais quanto os outros e iremos querer algo mais diferente ainda. E talvez entrem os batons artísticos.

Até dá pra imaginar os blogs e sites de moda loucos para saber como o maquiador conseguiu aquele efeito, qual material usou, como nós poderemos fazer em casa… exatamente como foi com os coloridos. Mas também tem uma enorme chance de não sair da passarela. Textura não é coisa fácil de se manter.

A cavalera já arriscou um glitter nas passarelas. Mas fica difícil de sair pra balada com glitter na boca. Primeira dança e ele já vai estar junto com a sobra, primeiro drink ele já vai estar na sua bebida e em seguida no seu estômago… (drama)

Acredito que para chegarem à vida real vão ter que trabalhar bastante na fixação e quando estiver no nível superbonder quero o meu e já sei quem também deve querer uns exemplares…

Você usaria algum tipo de batom artístico?

Unha de festa

Posso dizer pra vocês que não sou muito fã de esmaltes. Minhas unhas quase nunca estão pintadas e quando estão não ultrapassam o limite do azul escuro quando o assunto é cor. Mas espera um minutinho e dá uma olhada nesse esmalte:

São os novos exemplares da coleção de festas da Deborah Lippmann. O primeiro se chama Today was a Fairytale; é prata com um que de pigmento azul salpicado de pó de diamante (!!) e o dourado (meu favorito) se chama Bom Bom Pow é esse dourado poderoso que tem ouro de 24 quilates em pó (!!).

Agora você pensa quantos milhões eu não vou ter que desembolsar pra ter essa maravilha nas minhas unhas. Eis que eu lhes respondo: 20 dólares; 34 reais!

Quando eu lí fiquei louca e fui comprar na hora, mas infelizmente a loja online não entrega no Brasil! De qualquer forma, fica aqui a minha manifestação de amor por esses dois esmaltes e que eles não sejam só uma linha de festas porque são muito lindos! (pelo menos no frasquinho)

Via The Cut

Delineado peixinho

Gente, olha que linda essa make da Coco Rocha para um editorial de beleza na W Magazine!! Pra quem está cansado do delineador sempre em formato de gatinho, agora tem uma outra opção: Em formato de peixinho.

Veja todo o editorial aqui.

Fui me aventurar a reproduzir esse make em mim e olhem como ficou:

Aí vocês me falam: Poxa, Lílian que legal! Mas cadê o outro olho?
É gente, só conseguir fazem em um e estou com o outro ardendo de tanto passar demaquilante. ahahaha
Bem que a Petisquete more podia ensinar a gente a fazer, né?